2017-03-22

ouvir-te ler




Ouvir-te ler

Concluiu-se ontem, com a prova do 9.ºano, o apuramento dos representantes dos diversos anos para a final do concurso de leitura expressiva Ouvir-te Ler.
Dia 31, conheceremos os melhores leitores deste ano.

2017-03-10

hoje, tens alguma coisa a dizer?

Continuamos a fazer perguntas e a recolher respostas.
Em abril, juntamo-nos para conversar sobre isto.


Esta semana o tema é
 
Suicídio e Eutanásia são a mesma coisa?
 

Tens alguma coisa a dizer?



 


Devo dar ouvidos ao que
os outros pensam de mim?
Eu penso que…

“Claro que não, porque não aumentam nem diminuem nada na minha vida.”

“Sim, pois ao descobrirmos os nossos defeitos podemos mudá-los e várias opiniões fazem bem. Mas por outro lado não pois há aquelas pessoas que só falam mal e nos chamam nomes e a isso não devemos ouvir.”

“ Vocês não me conhecem para falar de mim. Metam-se nas vossas vidas.”

“Não, porque somos o que somos e não têm nada que falar!”

“ Não quero saber porque vocês não têm nada a ver comigo!”

“ Não, deixa eles pensarem o que querem. Também a opinião deles não serve para nada!”

“Não, não devemos. Nós não somos feitos daquilo que pensam de nós.”

“Devo ouvir o que os meus amigos têm a dizer sobre mim, pois o que estes disserem será para me melhorar.”

 “Não, porque os outros podem querer destruir a nossa vida.”

“ Não, achas mesmo?”

“ Não porque ninguém tem nada a ver com isso.”

“Não devemos ligar porque nem tudo o que os outros dizem de nós é credível.”

“Não, porque em maior parte dos casos deixo de viver a minha vida.”

“ Não, sou o que sou e não vou mudar.”

“ Acho que só devo dar ouvidos às pessoas amigas.”




Obrigada a todos pela vossa valiosa participação!!!! J
 
 

2017-03-08

8 de março, Dia Internacional da Mulher.



«Assim são os homens; amor de mulher para eles é entrega, obediência, serviço, gratidão. Quando o burguês se revolta contra o rei, ou quando o colono se revolta contra o império, é apenas um chefe ou um governo que eles atacam, tudo o resto fica intacto, os seus negócios, as suas famílias, os seus lugares entre amigos e conhecidos, os seus prazeres. Se a mulher se revolta contra o homem nada fica intacto; para a mulher, o chefe, a política, o negócio, a propriedade, o lugar, o prazer (bem viciado), só existem através do homem. O guerreiro tem o seu repouso; por enquanto nada há onde a mulher possa firmar-se e compensar-se das suas lutas. Chegará o dia?»
in Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa, Novas Cartas Portuguesas. Alfragilde: Dom Quixote, 2010 [1.ª ed. 1972], p. 143.

Exposição: escritoras

2017-02-24

Faça lá um poema

Divulgamos os poemas que vão representar os diversos ciclos do Agrupamento no concurso Faça lá um poema.
Desta vez, os alunos do 3.º ciclo não responderam à chamada e não temos um poema que represente esse ciclo. Mas há os outros:



1.º CICLO

Sorrir

Tenho uma folha em branco
Para um poema escrever
Tentar mostrar ao mundo
Que sorrir é viver.

Sorrir é esquecer tristezas
Apagar más memórias
É ganhar e perder
E celebrar as vitórias.

Em qualquer momento da vida
Sorrir é um sentimento especial
Vale mais que mil palavras
Ou qualquer bem material.

Sorrir é um conselho que dou
É melhor que qualquer remédio
Para sarar alguma dor
Ou sentimento de tédio.



Mariana Fróis 4.ºA
 Escola Básica Francisco Vieira Caldas 
2.º CICLO


A vida

A vida é como um berlinde
Cuidas, proteges
Até que um dia
Para de girar

A vida é como uma dança
Aprende os passos
Apanha o ritmo
E dança

A vida é como um filme
Uns riem
Outros choram
Mas acaba sempre da mesma maneira

A vida é como uma pergunta
Limita-te a responder
E torce
Para que esteja correta


Maria Inês Tavares,
Escola Básica dos Castanheiros, 6.º H

SECUNDÁRIO

O livro

Apareceste na biblioteca, por volta das três
Eras um mero estudante, aparecias uma vez por mês
Foste para a parte do romance,
estranhei, mas olhei mal tive chance.
Eu li-te e reli-te, linhas e entrelinhas,
não tens saudades minhas?
Ao que parece, vieste à procura da tua história por aqui,
como pôde tudo correr assim?
Leste-me cantigas sem rimas,
Contaste-me histórias sem moral,
Falaste-me de livros por escrever,
E de contos que não acabavam mal.
O nosso livro foi incrível, muito sinceramente
mas revelaste-me uma personagem que não tem certezas do que sente.
Já tinhas um final para nós, não tinhas?
Dei-te tudo, todos os versos, todas as linhas!
Mas acabou, e só te desejo algo melhor
Algo não tão mau, não com tanta dor
Cada qual agora segue o seu caminho portanto
Pode ser que tenhamos um final feliz entretanto
Eu queria um livro, completo, até com título
Só não tinha percebido que para ti,
eu era apenas um capítulo.

                                                                                 
Inês Silva,
Escola Secundária de Caneças, 11.º SE